terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Nossos animais possuem alma.

Todo o animal que vive não viveria se não tivesse “alma”, pois é a presença desse ‘fôlego’ ou ‘pneuma’ em todos os seres que dá vida ou alento ao invólucro físico que não funcionaria se a ele não estivesse ligada através do cérebro e sistema nervoso que tudo comanda como um condutor utiliza seu veículo estabelecendo contactos pelos circuitos eléctricos de ignição e o dirige através dos comandos de direcção.

Claro que nos animais a alma é inferior à do homem (pois este é um ser racional e inteligente) e tem graus diferentes, tudo dependendo do desenvolvimento de seu cérebro e da espécie a que pertençam. Por exemplo, enquanto os peixes têm sua "alma-colectiva" pertencente a um “espírito-grupo”, as baleias ou golfinhos já têm uma alma individual por pertencerem à classe dos mamíferos, como o macaco, o elefante, o cavalo, o cão, a vaca, etc., manifestando alguns destes animais a sua própria inteligência com memória e sentimentos, em muitos casos mais do que os humanos. Aliás, é a própria Bíblia que refere logo no início que todos os seres vivos criados por Deus são “alma-vivente” (gado, répteis e bestas-feras da terra), como está escrito, sendo que o homem surgiria muito depois e recebeu o ‘fôlego da vida’ em suas narinas, tendo sido feito alma vivente também. (Ver Capítulos 1: 20 a 30 e sobretudo o Cap. 2 : 7 do Génesis. 

Eclesiastes 3: 18-19-20
Disse eu no meu coração, quanto a condição dos filhos dos homens, que Deus os provaria, para que assim pudessem ver que são em si mesmos como os animais.
Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais, e lhes sucede a mesma coisa; como morre um, assim morre o outro; e todos têm o mesmo fôlego, e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade.
Todos vão para um lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó.


Portanto, os animais possuem alma, e não se resume apenas àquilo que certos intelectuais pensam ainda dizendo que poderá ser uma "forma filosófica que os homens arranjaram para escudar um sentimento de afeição ou compaixão para com alguns animais com quem temos mais afinidade ou proximidade". É muito mais do que isso! Talvez seja por as pessoas pensarem que os animais não têm alma, que são cruéis para eles e os tratam como ‘coisas’ ou lixo ou objectos jogando fora, maltratando, abandonando ou matando, julgando que não têm dor ou não sofrem como nós! Ledo engano!

O Que é Coprofagia?

A Coprofagia, é o hábito de comer fezes, próprias ou de outros animais.
COPROVET é um anticoprofágico consagrado no mercado, fabricado pelo Laboratório Coveli, que resolve um problema que aflige vários cachorros e algumas raças em especial: 
Existem cães que comem cocô por puro tédio, ou para manter o local limpo e sem vestígios para evitar broncas e punições. Alguns até nem chegam a comer todo o cocô, mas brincam com eles e carregam pedacinhos na boca. Mesmo sendo um comportamento normal para os animais, este hábito é bastante desagradável para os donos que acabam se afastando de seus peludos. Com o afastamento, o cachorro fica mais ansioso, especialmente se for filhote, podendo agravar o problema.
O uso do COPROVET é extremamente simples e não tem efeitos colaterais.
COPROVET é composto de ingredientes naturais que deixam as fezes com um sabor e odor nada atraentes para o cão, além de possuir a vitamina B1 que age quando a causa do problema é digestiva.
Ele é mais eficaz do que soluções caseiras como, por exemplo, colocar pimenta em cima das fezes, já que você não vai precisar ficar vigiando cada ida ao banheiro do seu cão para colocar a pimenta.
COPROVET é eficaz quando o problema da coprofagia ocorre por questões COMPORTAMENTAIS e DIGESTIVAS.
As principais causas da coprofagia são:

       - Pouco exercício ou exercícios esporádicos;
       - Ansiedade;
       - Solidão (mais de 4 horas sozinho);
       - Medo de ser corrigido por fazer as necessidades em locais errados;
       - Curiosidade natural de filhotes;
       - Instinto de limpeza exacerbado;
       - Tédio provocado por falta de estímulo e poucos brinquedos adequados;
       - Compulsão oral (necessidade constante de estar com “algo” na boca);
       - Tendência genética (Lhasa-Apso e Shih-Tzu).

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Agradecimentos.

 Queremos agradecer a todos os amigos, clientes, visitantes e patrocinadores por nós depositar total confiança.
Ficamos gratos e felizes ao saber que proporcionamos a vocês uma alegria intensa ao adquirirem estes animais. Saibam que esses peludinhos tem alma, por isso aprendem, sentem, brincam e nos amam de verdade. Amigos leais, companheiros e apaixonantes. Cuidem deles como novos membros da família, com certeza o amor, o cuidado, o carinho serão recíprocos.
Obrigado, Deus os abençoe.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Agradecemos a todos os amigos e clientes que adquiriram filhotes junto ao nosso canil; nossos Lhasa apso acabaram mas no início do mês de Abril teremos nova ninhada.



Somente para terem uma ideia de como a cor muda.